imagem microscópica do coronavirus

Novo coronavírus: sintomas, transmissão e prevenção

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on skype
Share on telegram
Share on email

A princípio o coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente, ou seja, a nova mutação do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China e provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). Logo após, a doença saiu da China e se espalhou pelo mundo.

Saiba de antemão as principais informações sobre a doença: 

Sintomas do novo coronavírus (COVID-19)

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias e parece que podém apresentar sintomas gastronitestinais da mesma forma que infecções em outros locais que não os pulmões. 

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são variados. Os mais comuns são: tosse (seca ou com secreção); febre (acima de 37°C) e os mais graves são dificuldade de respiração e insuficiência renal, além disso, outros possíveis sintomas: dores no corpo; congestionamento nasal; inflamação na garganta e diarreia, contudo nem todos os sintomas são conhecidos.

De acordo com uma análise da OMS baseada no estudo de 56 mil pacientes, 80% dos infectados desenvolvem sintomas leves (febre, tosse e, em alguns casos, pneumonia), 14% têm sintomas graves (dificuldade em respirar e falta de ar) e 6%, quadros críticos (insuficiência pulmonar, choque séptico, falência de órgãos e risco de morte).

Os grupos de risco da doença que tem certamente uma possibilidade maior para desenvolver os sintomas mais graves são: idosos; pessoas com doenças respiratórias, como asma e bronquite; fumantes; diabéticos; hipertensos e, também, pessoas com HIV.

Como o novo coronavírus é transmitido?

Por meio de três formas: vias respiratórias, pelo ar e por gotículas provenientes de espirros e da fala de indivíduos infectados; contato físico, quando essas gotículas com o vírus alcançam mucosas do olho, nariz e boca por meio de beijos e abraços, mas também, contato de superfícies contaminadas, quando essas gotículas com o vírus ficam depositadas em locais como um corrimão ou uma maçaneta, e depois entram em contato com mucosas do olho, nariz e boca, mas certamente, não são somente esses os vetores de contaminação e todo cuidado é pouco.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência e
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Confira um vídeo do Dr. Drauzio Varella em que ele explica como lavar as mãos: https://youtu.be/rsQlyIwetsE

Sobre o isolamento voluntário (ficar em casa o máximo possível) existe 2 materiais bem interessantes: um vídeo de Atila Iamarino, biólogo, pesquisador e comunicador científico, falando sobre o porquê o isolamento  é importante: https://www.youtube.com/watch?v=Y10vCOXxtds   e uma matéria especial do Washington Post sobre o contágio: https://www.washingtonpost.com/graphics/2020/world/corona-simulator/

Como é feito o tratamento?

Não existe tratamento específico contra a Covid-19, ou seja,  os pacientes infectados recebem uma medicação para aliviar os sintomas. As medicações Ibuprofeno, corticoides e aspirina não devem ser usados por quem estiver infectado pelo novo coronavírus.

Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento indicado é repouso e consumo de bastante água. Antibióticos não devem ser usados, segundo a OMS, por serem capazes de combater somente infecções bacterianas, não as virais como no caso do coronavírus. As medidas adotadas, portanto, para aliviar os sintomas são: medicamentos para dor e febre (antitérmicos e analgésicos) e umidificador no quarto ou banho quente para aliviar a dor de garanta e tosse.

Estou com suspeita de infecção por coronavírus. Como devo proceder?

O ministério ressalta que as pessoas podem apresentar ou não febre. O hospital deve ser a última alternativa, quando o caso estiver mais grave. A partir disso, se informe com a secretária de seu município para saber quais números ligar caso tenha suspeita do novo coronavírus.

A pessoa que não passar pelo teste para confirmar se contraiu ou não o novo coronavírus mas apresentar os sintomas deve permanecer em casa e em isolamento social por sete dias e certamente não sair em hipótese alguma.

As pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado devem ficar em casa, ou seja,  em isolamento, mas também, os que não estão com o diagnóstico devem se manter em casa o máximo de tempo possível para não correr o risco de se infectar pelo coronavírus

O indicado é, acima de tudo, sempre evitar aglomerações.

Finalmente , quando for preciso sair de casa, tente manter portanto, pelo menos 2,0 metros de distância das demais pessoas. Esta medida diminui os riscos de infecção.

Porém, se puder fique em casa e cuide de você do mesmo modo que dos outros.

Lembre -se de fazer exercícios em casa para manter a iminudade alta, e calma, vai passar.

Cadastre seus contatos e receba dicas e promoções